ANTA
Tapirus terrestris

A anta é um animal arisco, lento e de aparência bizarra (a mini tromba se deve a sua origem comum a do elefante na pré-história). A associação dela com a "burrice" vem dos antigos caçadores, pois a anta sempre faz o mesmo caminho para ir da mata fechada até os rios onde ela bebe água, assim os caçadores punham armadilhas onde encontravam pegadas e cedo ou tarde ela caía na armadilha. Daí a origem do apelido anta a pessoas limitadas que fazem sempre o mesmo "caminho".

As antas são animais fortes. Tem um couro bem espesso e duro. Os pés traseiros têm três dedos e os dianteiros têm um adicional, muito reduzido. As antas possuem uma tromba flexível, preênsil e coberta por pelos sensíveis a cheiro e a umidade.

Comem frutos, folhas, caules, brotos, pequenos ramos, grama, plantas aquáticas, cascas de árvores, organismos aquáticos e pastam inclusive sobre plantações de cana, melão, cacau, arroz e milho.

Durante o acasalamento, os machos atraem as fêmeas com assobios estridentes. A cópula pode ocorrer tanto dentro quanto fora da água. O casal se separa após isso.

Raramente nasce mais de um filhote; este possui uma coloração diferente dos adultos: são rajados de marrom e branco. Ele é amamentado até quando a mãe estiver lactando. Em um ano e meio já está crescido e com a aparência dos adultos.

Durante o dia, a anta fica escondida na floresta. À noite, deixa o esconderijo para pastar. Suas pegadas, difíceis de serem confundidas, podem ser vistas logo ao amanhecer nas trilhas abertas na floresta, nas margens dos rios e até no fundo das lagoas.

A anta toma banhos freqüentes de lama e de água para se livrar de parasitas como carrapatos, moscas, etc. Por isso é encontrada próxima a rios e florestas úmidas. Na água, ela costuma usar seu longo focinho como um tipo de snorkel, projetando-o para cima facilitando assim a respiração.

Animais de hábitos solitários, são encontrados acompanhados apenas durante a época de acasalamento ou durante a amamentação. Os machos urinam regularmente nos mesmos locais, talvez para mostrar aos outros indivíduos da mesma espécie sua presença no local. A anta possui glândulas faciais usadas para deixar rastro de cheiro.

Entre os predadores da anta estão o homem, sucuris e a onça. Quando surpreendida ou ameaçada, ela mergulha na água ou se esconde entre arbustos fechados. É capaz de galopar, derrubando pequenas árvores e arbustos, fazendo muito barulho, além de nadar e escalar terrenos íngremes muito bem.

Entre os sons emitidos pela anta, incluem-se o guincho estridente, usado para demonstrar medo, dor e apaziguamento; o estalido que pode ser usado para identificar indivíduos da mesma espécie e o bufo que significa agressão.

Assista o episódio: "Gui, Estopa e a Natureza - Anta"


<< voltar

   

facebook twitter

© Copyright Mariana Caltabiano Criações